Treino do Core

0 Love

Já falamos algumas vezes aqui sobre o core, a região localizada no centro do corpo que estabiliza a bacia, pélvis e abdômen. Alguns dos principais músculos dessa região englobam os abdominais, oblíquos, lombar e glúteos.

Sendo considerado o centro de gravidade do nosso corpo, o core é o responsável por grande parte das incontáveis sobrecargas que geramos em decorrência das atividades diversas do dia a dia, desde um simples ato como sentar e levantar até um treino, qualquer que seja a modalidade.

Por esse motivo, a região do core fica muito vulnerável se não tivermos o cuidado de prepará-la para tal trabalho e sobrecarga, podendo gerar diversas dores, desvios posturais, desconfortos e, nos piores casos, hérnias. Sentado no trabalho, dirigindo e principalmente treinando, os músculos do core são extremamente solicitados, e dependem de uma boa estabilização.

Mas como fortalecer o core? O treinamento tradicional de musculação, onde o foco é predominantemente puxar e empurrar, normalmente em máquinas com apoios, faz com que estabilizemos nosso tronco apoiando nas máquinas e em seus bancos e encostos. Isso faz com que relaxemos demais essa região, trabalhando especificamente alguns músculos, mas não o core. Atualmente (nem tanto assim), temos o treino funcional como grande ajuda pra quem quer uma estabilidade maior no centro do corpo.

Saímos do básico da musculação e inserimos exercícios unilaterais, unipodais (com um pé só apoiado), maior instabilidade, gerando sempre um desequilíbrio, trabalhando partes mais variadas do corpo em um exercício, otimizando o treino e os ganhos em relação ao nosso centro de gravidade. Usar uma bola de pilates pra deitar ou sentar, ao invés de um banco, é um exemplo de instabilidade bem maior, fazendo com que obrigatoriamente, para nos equilibrarmos, deixemos mais travada toda a região abdominal, trabalhando indiretamente esses músculos, enquanto fazemos outros movimentos ao mesmo tempo.

Podemos inserir em nossa rotina de treinos, um treinamento funcional completo ou apenas alguns exercícios complementares a outras atividades, como a musculação ou a corrida. Você pode manter sua série de pesos na academia, inserindo em outro momento alguns exercícios mais funcionais para ativar a região do core.

No próximo post, vou exemplificar uma série curta complementar para quem já tem uma atividade principal. Serão exercícios simples e rápidos, usando alguns acessórios, pensando sempre num treino básico e inicial. Aguardem!

 

Se você tiver alguma dúvida, mande suas perguntas nos comentários que o Rapha responde! 

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Rapha Fiorentino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda