A Páscoa

0 Love

A Páscoa é uma das festividades mais importantes para o cristianismo, é a celebração da Ressurreição de Jesus Cristo, depois de sua Morte por crucificação na Sexta feira Santa do ano 30 ou 33 d.C.

A data é comemorada anualmente no primeiro Domingo após a lua cheia na Primavera do hemisfério norte e no Outono do hemisfério sul, acontecendo sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

A Páscoa é uma festa cristã de origem judaica, tanto para a tradição judaica como para a cristã tem o sentido de libertação.

A Páscoa judaica ou Pessacch, celebra a travessia do povo judeu do Egito, da escravidão que durou 400 anos, para transformá-los em pessoas livres no ano 2449 a.C.

A festa se inicia na primeira lua cheia do Outono do hemisfério sul e dura 7 dias.

Jesus tinha 12 anos quando foi levado pelos pais para comemorar a Páscoa.

Seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa“, como narra Lucas 2,41

 

A Páscoa passou a ser cristã na Quinta feira Santa.

Jesus ceando com seus discípulos acompanhando o ritual da festividade judaica, deixou de ser uma celebração ligada ao povo judeu e passa a ser “a travessia de Jesus pela sua Morte e Ressurreição”.

A Páscoa representa a libertação da escravidão do pecado para todos aos que buscam a salvação de suas almas.

A palavra pecado é um termo latino que significa: “dar um passo em falso, cometer falhas, os pés incapazes de percorrer o caminho com Deus”.

 

Jesus Cristo passou 33 anos de sua vida de forma grandiosa!

Ensinava que as pessoas precisavam aprender a se desarmar de sua rigidez.

Plantou sementes nos corações, na esperança surpreendente de que germinassem.

Fez um apelo supremo do que há de melhor no interior de cada pessoa; a dignidade, a justiça, a paz entre todos.

Não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele mesmo me prescreveu o que devo dizer e o que devo ensinar.

 

A Última Ceia e a traição de Judas

Antes da festa da Páscoa, os discípulos se aproximaram de Jesus e perguntaram:

Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?

 

Jesus respondeu:

Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe:

O mestre manda dizer: O meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa junto com meus discípulos.

Os discípulos fizeram o que Jesus mandou e prepararam a Páscoa“, Evangelho Mateus 26.

 

“Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas o propósito de entregar Jesus.

Jesus levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou na cintura.

Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos enxugando-os com a toalha com que estava cingido.

Depois, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo.

Compreendeis o que acabo de fazer?

Vós me chamais de mestre e Senhor. Portanto, se eu, o Senhor e mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros“, Evangelho de João.

 

Enquanto comiam, Jesus disse:

Em verdade vos digo: um de vós vai me trair!

Os discípulos olhavam uns para os outros, sem saber de quem falava.

 

Jesus disse:

É aquele a quem eu der o pão embebido. Em seguida, molhou o pão e deu-o a Judas Iscariotes.

Logo que ele engoliu, Satanás entrou nele.

 

Jesus disse-lhe então:

O que queres fazer, faze-o depressa.

Tendo Judas recebido o bocado de pão, apressou-se em sair”, João 13, 2.

Jesus já sabia que Judas iria traí-lo, mesmo assim, fez um surpreendente gesto de amizade: deu o pão molhado na boca de Judas.

Segundo o costume judaico, a pessoa que recebia o bocado molhado era a mais especial da festa, depois do anfitrião.

Esse ato pode ser entendido como um apelo final de Jesus para que Judas abandonasse seu intento de traição. O momento era aquele, para redimir o seu caráter, revelando profundas feridas maléficas que o acompanhavam…

 

Judas negou a oportunidades de cura.

“Depois, logo que Judas saiu, Jesus disse:

Filhinhos meus, vós me haveis de procurar, mas para onde eu vou, vós não podeis ir.

Dou-vos um novo mandamento:

Amai-vos uns aos outros.

Como eu vos tenho amado, assim também vós, deveis amar-vos uns aos outros. Nisso todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.

Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim.

Na casa de meu Pai há muitas moradas, depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais.

Não vos deixareis órfãos. Voltarei a vós“, João 13, 14, 15, 16.

 

Jesus encorajava os seus discípulos, não deixava que pensamentos negativos perturbassem suas mentes.

Encerrando a ceia, o último canto de despedida de Jesus e seus discípulos.

 

“Felizes aqueles cuja vida é pura,

e seguem a lei do Senhor.

Felizes os que guardam com esmero seus preceitos

e o procuram de todo o coração;

os que não praticam o mal, mas andam em seus caminhos.”

Salmo 118

 

Depois Jesus saiu com seus discípulos para o monte das Oliveiras.

Nesta noite sentiu enorme tristeza.

Minha alma está triste até a morte“, Mateus 26, 38.

Uma angústia suprema tomou conta de sua fragilidade humana.

Sempre soube o que o aguardava, mas a hora fatal havia chegado. Judas, o traidor, conhecia aquele lugar porque Jesus ia frequentemente para lá com seus discípulos, levou guardas que o prenderam para ser interrogado, condenado e crucificado.

O Profeta Isaías já anunciava pelos anos 560 a.C.

A verdade é que ele tomava sobre si nossas enfermidades e sofria, ele mesmo, nossas dores.

Ele foi ferido por causa de nossos pecados, esmagado por causa de nossos crimes.

A punição a ele imposta era o preço da nossa paz, e suas feridas, o preço da nossa cura.

Foi maltratado e submeteu-se, não abriu a boca; como cordeiro levado ao matadouro.

Foi atormentado pela angústia e foi condenado.

Ele, na verdade, resgatava o pecado de todos e intercedia em favor dos pecadores“, Isaías 58.

 

Então Pilatos entregou Jesus para ser crucificado.

Jesus tomou a cruz sobre si, e saiu para o lugar chamado Calvário.

Ali o crucificaram.

Pilatos mandou ainda escrever um letreiro e colocá-lo na cruz:

Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus.

Amarraram numa vara uma esponja embebida em vinagre, e levaram à boca de Jesus.

Ele tomou o vinagre e disse:

Tudo está consumado.

E inclinando a cabeça, entregou o espírito….

Depois de sua morte na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro onde permaneceu por 3 dias.

 

A Páscoa da Ressurreição

Na manhã de Domingo, Jesus saiu do sepulcro quando o seu Espírito e o seu Corpo Ressuscitaram.

Jesus como um homem mortal, entregou a vida e experimentou a morte, para depois retomá-la pela Ressurreição.

A luz da Ressurreição ilumina o mundo dando forças para prosseguir!

A cruz tornou-se o símbolo da nossa salvação;

O triunfo do amor sobre o ódio.

 

Jesus Ressuscitou! Aleluia!

O mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, mais vale contemplá-lo pela fé do que pela lógica humana, porque o Seu amor excede a todo o entendimento!

 

Feliz Páscoa a todos!

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

Escrito por Jane Fiorentino. – O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda