O Outono

0 Love

O equinócio de março no dia 20 marca o início do outono no Brasil, que termina em 21 de junho.

O equinócio é um fenômeno astronômico em que o Sol atinge com maior intensidade as regiões próximas à linha do Equador, e o dia tem a mesma duração, tanto no hemisfério Sul como no hemisfério Norte.

O outono é a estação que sucede o verão e antecede o inverno. Os dias começam a ficar mais curtos e as noites mais longas.

As temperaturas antes elevadas do verão, começam a esfriar, e o clima se torna ameno.

Por ser uma estação de transição, há mudanças rápidas do tempo, com maior frequência de nevoeiros e geadas nas regiões Sudeste e Sul.

O outono, segundo a medicina chinesa, é a estação da introspecção, da melancolia, da maturidade, e está ligada ao órgão do pulmão.

Olhamos a natureza em detalhes, avaliando e aprendendo a perceber sua mensagem com a mudança das estações.

A estação do verão traz alegria, entusiasmo, abundância e generosidade da natureza.

No final do verão, essa força diminui, começa a contrair-se, voltar-se para dentro, para iniciar o recolhimento e armazenar as sementes.

No início do outono, a chuva para, baixa a umidade, o ar se torna seco e a temperatura esfria.

A estação revela toda a sua beleza com os lindos dias limpos de céu azul.

 

No outono, a natureza se prepara para o inverno

As folhas das plantas caem, para poupar sua essência vital e adquirir força suficiente para passar o Inverno.

É tempo de arar, adubar, podar e preparar a terra para novas semeaduras.

É a estação na qual a colheita das frutas é rica e abundante; frutas que, quando colhidas no tempo certo, ficam ainda mais saborosas.

 

Outono, estação da introspecção e da faxina interior

Assim como é na natureza, também acontece dentro de nós.

Sentimos mais vontade de nos recolher, olhar pra dentro de nós e nos avaliarmos.

A introspecção nos leva a lidar com as emoções exageradas, fazer as coisas com mais tranquilidade, para assim poder refletir melhor sobre os novos objetivos.

Há uma tendência à melancolia e aos pensamentos que nos levam ao passado. Mágoas guardadas se fazem presentes por causa das reflexões.

É o momento de nos livrarmos de sentimentos antigos e de situações que nos fizeram sofrer – tudo isso pode ser considerado como toxinas que afetam nossa saúde.

 

Assim como as folhas caem, somos também motivados a só ficar com aquilo que realmente nos será útil.

Vamos nos livrar de sentimentos antigos, dos apegos que nos aprisionam e de tantas coisas inúteis.

Por que ficarmos prisioneiros do passado?

Isso pode até criar doenças, principalmente as respiratórias, pois a angústia causa falta de ar e não permite uma boa respiração.

 

Outono do desapego

Aliviamos a nossa casa e a nós mesmos!

Fazemos uma bela faxina nos armários e gavetas, jogando o que não serve, doando o que está acumulado, chegando até ao escritório; papeizinhos, bilhetinhos, notinhas, jornais, revistas, alimentos vencidos, radiografias que podem ser recicladas pelos laboratórios…

 

Outono da moderação

É o momento de economizar energia do corpo físico, das emoções e dos pensamentos, pois o objetivo é armazenar energia.

Não ultrapasse seus limites!

Livre-se de sobrecarga no trabalho e reduza o ritmo.

Filtre o que realmente é necessário fazer para estar mais consigo mesmo, dando-se tempo para meditar, rezar, ou mesmo apenas descansar.

 

O que o corpo precisa

Com o clima mais frio, a atividade física entra como uma ótima opção para a circulação sanguínea, o sistema cardiovascular, ajudando também a amenizar problemas respiratórios.

É importante fazer exercícios, caminhadas, exercícios de alongamento etc.

 

O corpo pede por alimentos mais nutritivos

Os alimentos podem ser quentes e úmidos, para compensar a falta de umidade externa e para que nos aqueçamos.

Há uma tendência a comer mais, engordar e inchar, pelo acúmulo de líquidos e de gorduras; portanto, é o momento para dar limites ao corpo e suas vontades exageradas.

Use temperos que aquecem, como cominho, gengibre, coentro, canela, cravo.

 

Sistema respiratório

O ar seco do outono diminui a dispersão de partículas no ar, o que sobrecarrega o sistema respiratório e cardiovascular.

Hidratar-se com água ou sucos naturais evita a secura que entra no corpo através do nariz e da boca, afetando rapidamente os pulmões.

O friozinho pede um agasalho, impedindo que ele chegue ao interior do corpo.

Às vezes sentimos uma leve dor de garganta; o corpo está dando sinal de que precisa descansar para se autorregular.

 

Prevenir a proliferação de vírus

– Evite longa permanência em locais fechados e aglomerados, que têm agentes irritantes para as mucosas do pulmão.

– Evite também o exagero na temperatura artificial do ar condicionado.

– É importante abrir as janelas da casa logo de manhã para que o ar se renove.

– Lave com frequência as mãos com água e sabão, principalmente quando chegar da rua, antes de comer e ao manusear os alimentos.

– A pele fica mais seca, o que pode causar irritações que evoluem para alergias; após o banho, aplique uma pequena quantidade de creme hidratante.

– Antes de deitar-se, assoe o nariz com vigor e pingue uma solução de água com um pouquinho de sal ou soro fisiológico.

– Beba bastante água e bebidas quentes (chá, sopas, leite quentinho).

– Reforce o seu sistema imunológico comendo alimentos ricos em vitamina C.

– Sorvete em clima frio sobrecarrega o pulmão, levando a resfriados e alergias.

– Alimentos quentes combinados com um pouco de pimenta preta fortalecem a digestão e diminuem a produção de muco no corpo.

 

É hora de aproveitar as frutas da estação e tomar chás

Laranja e tangerina – ricas em vitaminas A, C, B1 e B2.

Abacate – ajuda a baixar o colesterol e faz bem aos ossos e dentes.

Pera – usada na prisão de ventre, inflamação intestinal e bexiga; rica em vitaminas A, B1, B2, cálcio, potássio, enxofre, fósforo, magnésio, silício, sódio e fibras.

Goiaba – fortifica os ossos, combate infecções, dá maior resistência física.

Caqui – tem cálcio e ferro.

Melão, melancia – muito boas para hidratar o organismo.

Tome chás de preferência mornos ou quentes, adoçados com mel e limão; hortelã, erva-doce, canela, gengibre, camomila.

 

Higienize a boca e a garganta com bochechos e gargarejos

A água morna com sal marinho ou vinagre de maçã é muito útil contra dores de garganta e congestão nasal.

A água salgada em sua composição, parece com o líquido que temos no corpo, aumentando a remoção do muco que se forma na garganta, e com ele as bactérias e fungos.

 

Receita:

Um copo de água morna misturada com meia colher de chá de sal marinho ou uma colher de sopa de vinagre de maçã.

Gargareje com essa mistura e mantenha o líquido na boca alguns segundos antes de cuspi-lo.

 

Caminhando entre os ciclos da natureza

Adormecendo, acordando e observando a vida em todas as coisas, num processo ordenado e sublime, obra magnífica do nosso Criador.

Reciclamos nossos sentimentos antigos, nos libertamos dos apegos e do excesso de emoções passionais…

Cultivando bons sentimentos e o contentamento interior, aumentaremos as defesas do nosso corpo!

 
Abraços,

Jane Fiorentino

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Jane Fiorentino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda