O Inverno

0 Love

A estação do inverno começa às 7hs e 7 minutos do dia 21 de junho e termina no dia 23 de setembro, com o equinócio da primavera.

É a data do ano em que o dia é mais curto e a noite mais longa.

No decorrer do inverno, as noites vão ficando gradativamente mais curtas, e a iluminação solar vai aumentando, quando então chega a Primavera.

 

A vida é feita de mudanças e esperas

Na natureza tudo tem o seu tempo; os dias, as noites e as estações do ano.

Quando não habitávamos meios tão artificiais, as estações eram marcadas pelos sinais da natureza.

A mudança das estações representa uma oportunidade para reencontrar novas paisagens, como a floração de certas plantas, o sabor de certos frutos, a passagem de grande número de aves migratórias e de animais que não víamos desde o ano anterior.

Como fazemos parte da natureza e com ela interagimos, nosso corpo responde às mudanças da temperatura e nos adaptamos a ela.

Podemos observar que a cada mudança nos sentimos diferentes; com calor ou com frio.

O outono é a estação de transição entre o calor do verão e o frio do inverno.

No outono as folhas caem, o tempo esfria a chuva volta.

Terminado o outono, a natureza se prepara para o recolhimento no inverno.

 

Inverno

A estação do inverno é conhecida pela redução das temperaturas, embora isso aconteça de forma diferente nas diversas áreas do planeta.

As regiões Sudeste e Sul são as mais marcadas pelo inverno, sendo que no restante do Brasil as temperaturas são mais equilibradas e com pouca variação térmica.

Normalmente, nas regiões litorâneas o inverno é frio e úmido, e nas regiões mais altas como Campos do Jordão mais frio e seco, às vezes com neve.

O inverno oferece uma cor e um ritmo diferente aos nossos campos e florestas.

A luz modifica a paisagem.

Observamos a quietude e o movimento, o sombrio e o luminoso, o frio e a chuva.

Nosso país tropical também guarda paisagens invernais, e nas regiões mais frias chega a nevar.

As geadas são comuns quando as manhãs nascem com densa neblina, impregnando de umidade as florestas de araucárias.

Tristemente, a exploração dessas florestas as reduziu a pequenos fragmentos, mas mesmo assim a neve se acumula nos galhos das árvores que restaram, oferecendo uma paisagem de rara beleza.

Vemos também árvores nuas preparando-se para se renovar, aguardando a primavera.

Muitas árvores perdem suas folhas, que se espalham secas pelo chão, com flores amareladas e vermelhas.

Alguns mamíferos são mais vistos nesta época; as jaguatiricas e pacas, e, entre as aves, a gralha azul.

Alguns animais armazenam alimentos e outros se preparam para hibernar.

Homens e animais acompanham harmoniosamente as mudanças das estações, para que possam sobreviver, crescer e se perpetuar.

 

As mudanças

Seria reconfortante saber que as coisas que nos agradam são duradouras e constantes, mas a vida e a natureza nos mostram que são mutáveis e que nada é permanente.

Somos apegados às coisas, pessoas, situações, querendo que a vida seja de acordo com o que idealizamos.

Quando não mudamos de acordo com o que é correspondente a cada fase da vida, deixamos de viver de forma plena.

Saber acolher essas mudanças, tratando-as com humildade e reverência, é um exercício de aceitação da realidade, saindo do mundo das ilusões e mantendo a nossa saúde e paz interior.

 

Inverno de recolhimento e introspecção

Inverno é uma estação de repouso, quietude e calma; existe uma desaceleração natural para todos os seres vivos.

É particularmente uma boa temporada para prestar mais atenção em nós mesmos, entregando-nos ao repouso e à quietude.

O nosso metabolismo fica mais lento, os níveis de energia estão mais baixos e precisamos de mais tempo de sono. Por isso, é bom dormir mais cedo.

 

Vamos reduzir o estresse e a pressão da vida moderna?

Calma, serenidade, neutralidade são virtudes semelhantes à paz: difícil de alcançar mas necessário buscar!

Quando essas virtudes estão presentes em nossos pensamentos, o mal se afasta, porque não encontra terreno fértil.

 

Difícil de alcançar, mas necessário buscar

A calma é um instrumento eficaz que esclarece as ideias.

A serenidade nos mostra coisas positivas e nos tira do pessimismo.

A neutralidade é um instrumento que não permite que nos envolvamos em situações externas sem usar a calma e a serenidade. Assim não há oposição nem brigas, e encontramos força interior para ajudar a nós mesmos e às pessoas que necessitam se libertar de seus conflitos. Sem perder esse foco, ficaremos mais longe do caos que poderá nos envolver.

 

Depressão de inverno: uma desordem sazonal da própria estação

No inverno, muitas pessoas sentem-se irritadas, deprimidas e cansadas. Alguns dias sem sol chegam até mesmo a afetar a saúde!

Provavelmente a grande influência é a ausência de luz dos dias mais curtos, que tem muito a ver com o nosso biorritmo.

Vamos aproveitar o sol sempre que ele surgir?

Passar um tempo ao ar livre, tomar banho de sol, andar ao sol, principalmente pela manhã, ler, tomar o café da manhã e até trabalhar ao sol ajudam muito!

 

Para manter a saúde e prevenir-se de doenças

Nesse período, o vento invade o organismo e pode infeccionar as vias respiratórias.

Enquanto no outono os pulmões ficam mais sensíveis a resfriados e gripes, no inverno as partes mais sensíveis são os rins, a região lombar, estômago, pescoço e pés.

Com a queda da temperatura, a friagem e a umidade diminuem nossa resistência imunológica. Podemos sentir o corpo pesado e meio preguiçoso causando dores articulares e musculares.

 

É bom evitar:
  • Ficar exposto ao vento frio com os cabelos molhados.
  • Sentar ou trabalhar em correntes de ar.
  • Fazer inspirações profundas do ar frio.
  • Pisar descalço em pisos frios ou ficar com roupas molhadas secando no corpo.

 

O que faz bem:
  • Manter o corpo aquecido, principalmente as costas e os rins.
  • Usar um cachecol protegendo a nuca e o pescoço, evitando assim o torcicolo.
  • Intensificar os exercícios e fazer caminhadas todos os dias fortalece o sistema cardiovascular e aumenta o nível de serotonina e do hormônio betaendorfina, um remédio que o próprio corpo produz contra o desânimo.

 

A pele tende a ficar mais seca: use um creme hidratante ou óleo de oliva.

Proteja as crianças do vento mantendo as extremidades do corpo aquecidas; pés, mãos e principalmente a nuca.

Tanto os adultos como as crianças devem evitar tomar bebidas geladas.

 

Alimentos quentes

Os chás de erva-doce e camomila, tomados com mel e limão ao longo do dia, são úteis para eliminar bactérias e vírus da garganta.

Os chás fortes, como os de gengibre e canela, atuam com efeito anti-inflamatório.

 

Higiene no inverno

Faça bochechos e gargarejos com água morna e sal marinho para higienizar a boca, nariz e garganta, ou use soro fisiológico na própria embalagem para a mesma limpeza.

Lave mais as mãos.

Areje a casa, abrindo as janelas.

Tire os sapatos ao entrar em casa.

Lave as solas dos sapatos sujos antes de guardá-los.

 

Alimentação

Na estação fria são aconselháveis alimentos que dão energia.

A alimentação deve ser quente, úmida e com pouco sal, para proteger os rins.

Os alimentos de preferência devem ser cozidos ou assados, evitando os alimentos crus e frios.

Reforçar a alimentação com substâncias nutritivas e temperadas com alho.

  • Sopas quentes de legumes e verduras cozidas.
  • Diversos tipos de batatas, doces, inhame, cará, mandioquinha.
  • Os grãos em geral, nozes e castanhas, um pouco de pimenta preta.
  • Frutas da estação, como a atemoia, abacate, banana, caqui, carambola figo, goiaba, maracujá, maçã.
  • Também o leite e seus derivados suaves.

Os sucos devem ser naturais e feitos com a fruta, principalmente as cítricas, pelo alto teor de vitamina C, e servidos em temperatura ambiente.

O alho cru em jejum, engolido em pedacinhos com a ajuda de meio copo de água e suco de meio limão, é um poderoso antibiótico natural.

O extrato de própolis diluído no mel e usado em pequenas quantidades (uma colher de chá três vezes ao dia) também é um poderoso alimento.

 

Escalda-pés

Um cuidado simples que descansa e ativa a circulação sanguínea. O calor entra pelas extremidades nervosas dos pés, esquenta todo o corpo e elimina a friagem.

É excelente para pessoas que caminham muito ou que passam muito tempo sentadas, mulheres que fazem uso de salto alto e sentem sensação de sobrecarga nas pernas.

Diziam os antigos que “pés quentinhos” deixam a cabeça fria, acalmando uma mente muito inquieta.

Explica-se que a má circulação sanguínea congestiona os membros inferiores, concentrando o sangue na parte superior do tronco, causando dor de cabeça.

 

Como fazer o escalda-pés:
  • Leve uns três litros de água ao fogo até que a temperatura fique bem quente, o quanto você aguentar.
  • Coloque um punhado de sal grosso e mergulhe os pés numa bacia com a água quente até os tornozelos.
  • Deixe-os de molho por mais ou menos 15 minutos enquanto a água permanece quente.
  • Depois com uma toalha enxugue os pés e coloque meias para mantê-los quentinhos.
  • Após o escalda-pés, evite a friagem.

 

Os vírus ficam no ar

Hoje a ciência nos informa que gripes e resfriados são doenças provocadas por micróbios e vírus.

Estar em lugares mal ventilados e com muita gente, ou o contato próximo com pessoas doentes, transmite o vírus.

Evitar e moderar o uso do ar-condicionado quente ou frio, que desidrata e resseca o muco protetor que reveste as mucosas das vias respiratórias, destruindo os anticorpos que atacam esses germes invasores.

 

Agasalhar quem tem frio

Cuidamos de nós e também de nossos irmãos.

Não vamos ficar parados debaixo dos cobertores aquecidos individualmente, dando oportunidade para o desânimo e a preguiça chegarem…

Vamos cuidar e agasalhar dos que sofrem com o frio, os desabrigados, sem um teto para se proteger.

“Mesmo enquanto vivemos em um mundo onde tudo está sendo manipulado, as estações continuam cumprindo o seu ciclo sem fim. Quase no final do inverno, as primeiras flores aparecem, dando sinais de que a primavera se aproxima.”

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

Referências: medicina tradicional chinesa e medicina ayurvédica

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Jane Fiorentino.

Comentários

  1. Luci 19 de junho de 2014 at 15:04
    Responder

    texto ao mesmo tempo poético e com dicas valiosas, com carinho de mãe 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda