Sódio e Sal

0 Love

O sal foi o primeiro tempero da civilização.

É um dos conservadores mais antigos da humanidade, tanto de uso doméstico como industrial, impedindo o desenvolvimento de microrganismos que deterioram os alimentos.

É importante usá-lo na alimentação, em quantidade adequada para não prejudicar a saúde.

Quando o sal é consumido excessivamente, causa a liberação de alguns hormônios que causam retenção de líquidos e inchaço, aumentando a pressão sanguínea e sobrecarregando o coração, principalmente para quem já possui a pressão alta.

A restrição de seu consumo diminui a pressão arterial e reduz a perda de cálcio pela urina, o que ajuda a evitar a osteoporose.

 

Qual a diferença entre sódio e sal?

O sal de cozinha tem uma combinação de sódio (NA) e cloro (CL) o que resulta em cloreto de sódio.

Essa combinação de elementos é que dá o sabor salgado.

O sódio é um conservante natural e principal constituinte do sal de cozinha.

Um grama de sal tem 400 mg de sódio, um equilíbrio perfeito.

 

O sódio escondido

Isoladamente o sódio não tem sabor, ou é levemente salgado.

Alguns alimentos contêm sódio mas não o sal, como é o caso do leite.

Sem que se perceba, a quantidade de sódio usada pela indústria alimentícia é muito grande, para que os alimentos durem mais e permaneçam mais tempo nas prateleiras.

Além do sódio, adiciona-se também o glutamato ou outros elementos.

Exemplo: uma sopa instantânea tem 680 mg de sódio.

A recomendação da quantidade máxima de sal por dia é de 5 a 6 gramas, e a de sódio 1,6 a 2,4 g por dia.

 

O sódio na saúde

O sódio contribui grandemente para manter o equilíbrio aquoso e ácido do organismo, retendo a água e regulando a contração muscular, os impulsos nervosos, o ritmo cardíaco, entre outras ações.

 

O sódio está presente em diversos alimentos

Os alimentos de origem vegetal são todos pobres em sódio.

Ele também é muito escasso nos cereais e leguminosas, praticamente inexistente nas frutas.

Somente as algas marinhas, o aipo, o espinafre e as hortaliças apresentam alguma concentração de sódio.

Já entre os alimentos de origem animal, o sódio é bastante abundante, tal como no leite, carne, ovos e peixes.

Existe ainda sódio adicionado em forma de sal comum nas carnes embutidas, curadas, queijos etc.

Ao consumir esses produtos, muita atenção: tente reduzir a adição de sal ao temperar outros alimentos durante o dia.

A todos os embutidos, para que durem mais tempo, adiciona-se sal, o que aumenta a concentração do sódio já existente.

Por esse motivo é que esses alimentos fazem mal, e seu consumo deve ser moderado ou evitado.

 

Os grandes do sódio

Embutidos – linguiça, paio, mortadela, presunto etc.

Enlatados – atum, sardinha, azeitonas, mostarda, maionese, molho inglês, shoyu etc.

Defumados – bacon, bacalhau, carne seca, charque, carne de sol etc.

Queijos amarelos, mussarela, prato, provolone, parmesão.

Evite estes alimentos prontos e faça sua própria comida: macarrão instantâneo, sopas instantâneas, caldo de carne e galinha, batata palha, hambúrguer, quibe, coxinha, pastéis, empadas e salgadinhos de pacote são todos muito ricos em sódio.

 

Deixando de lado o saleiro

Reduza a adição do sal puro na comida e utilize temperos saborosos, fazendo misturinhas com o sal.

Alho, cebola, cebolinha, salsinha, gengibre, alecrim, manjericão, pimentão, orégano, raspas de limão, louro, hortelã…

Depois e só guardar em um pote de vidro.

Evite os temperos prontos.

 

O excesso de sódio

O excesso de sódio na comida transforma a saúde do povo brasileiro, causando doenças crônicas como a pressão alta e os problemas no coração.

Um acordo do Ministério da Saúde com as indústrias prevê a redução do sódio em diversos alimentos.

A lista inicial contém 16 variedades, focando nas mais consumidas por jovens e crianças. Ela inclui as massas instantâneas, pães, bisnaguinhas, batatas fritas, pão francês, bolos prontos, misturas para bolos, salgadinhos de milho, maionese, biscoitos doces e salgados.

É importante aprender a olhar os rótulos dos produtos antes de levá-los para casa, avaliando assim as quantidades exageradas de sódio contidas nos alimentos.

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

Escrito por Jane Fiorentino. – O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor.

Comentários

  1. Sonia 25 de maio de 2015 at 22:49
    Responder

    gostei muito dessas dicas

  2. EVA 26 de maio de 2015 at 9:21
    Responder

    Gostei, muito interessante!!!!!!

  3. Rizia 27 de maio de 2015 at 12:54
    Responder

    Nossas crianças estão perdidas, se não tomarmos cuidado com alimentação deles, é preocupante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda