Moda de Brechó

0 Love

Continuando o assunto sobre moda e consumo consciente, vamos falar de moda de brechó?

De tempos em tempos, a moda vai se reinventando. Por isso, peças que você não considera mais atuais ou adequadas a seu estilo podem ser atuais e adequadas a outras pessoas. Essa “troca” ajuda e muito a fazer a economia girar. Assim, vivemos um momento em que devemos aprender a ressignificar o novo.

 

O que é um brechó?

É um estabelecimento que vende roupas, sapatos e acessórios usados – antigos ou novos.

 

Existem três tipos de brechós, baseado em peças:

  1. vintage – qualquer peça que tenha mais de 20 anos e menos de 100 anos. Peças com mais de 100 anos são consideradas antiguidades.
  2. de luxo – com marcas nacionais e/ou importadas de grandes grifes e preços mais elevados.
  3. atuais – são as peças com menos de 20 anos.

 

História dos brechós

Segundo o professor João Braga (aprendi isso em uma live que fizemos juntos, já assistiram? Está incrível!), os brechós surgiram no século 19, depois da gripe espanhola, pois as pessoas começaram a vender as peças de seus entes queridos que não sobreviveram.

Há quem diga que sua origem foi nos mercados de pulgas em Paris, que eram feiras nas ruas. Similarmente, outros dizem que foi após a crise financeira causada pelas grandes guerras mundiais.

Aqui no Brasil, aliás, foi um português no Rio de Janeiro, de nome Belchior, que vendia objetos e roupas usadas no século 19, quem introduziu o brechó e criou essa palavra.

 

Dado interessantes

Uma pesquisa realizada pelo e-commerce ThredUp 2019 comprovou essa tendência: até 2028, o mercado de roupas usadas nos EUA valerá US$ 64 bilhões, mais que o mercado de fast fashion.

 

Como montar um look com peças de brechós

Minha dica para montar um look bem incrível com peças de brechó, principalmente um com peças vintage, que são aquelas que mais dataram uma época, e não correr o risco de ficar muito caricato, com cara de quem saiu de um álbum de fotografias, é sempre misturar peças bem atuais e modernas. Por exemplo, para um vestido de veludo com ombreiras, bem característico dos anos 1980, o legal é combinar com uma bota modelo coturno, que está bem em alta neste momento.

 

Cinco motivos para comprar em brechó

  • Por se tratar de peças usadas, os valores dos brechós são bem baixos que os das lojas
  • Normalmente as peças que você encontra em brechós são exclusivas. Raramente haverá outros tamanhos, cores e modelos por aí.
  • Peças super estilosas e muitas vezes bem criativas. Perfeitas para looks mais elaborados.
  • Preocupação social e ambiental. Como falei (neste post – link), a peças mais sustentáveis são aquelas que já existem.
  • Peças vintage originais. Se você gosta muito de um estilo de determinada época, os brechós podem ser como um parque de diversões para você garimpar os itens mais statement do seu guarda-roupa.

 

Outra dica importante: a diferença entre vintage e retrô

Vintage é uma peça antiga que marcou uma década e tem mais de 20 anos e menos de 100 anos (exemplo: calça de veludo boca de sino dos anos 1970, ombros marcados dos anos 1980, vestido ladylike com cintura marcada dos anos 1950).

Retrô, todavia, são peças atuais, porém inspiradas em peças antigas.

 

Para maratonar e te inspirar

A série Girlboss, que você encontra no Netflix, conta a história de Sophia, uma menina que amava moda e não se encaixava em nenhum emprego, até entrar em um brechó e ter a ideia de vender on-line peças de brechós customizadas.

 

Isabella Fiorentino veste casaco de brechó

O casaco desta foto foi adquirido em um brechó!

 

Gostou? Então siga o Instagram da Isabella Fiorentino para mais dicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda