Delicadeza à mesa

0 Love

A comida é antes de tudo uma necessidade. Sem ela ninguém vive!

 

Para comer, a humanidade aprendeu primeiro a caçar, e depois a produzir da terra o seu alimento.

Precisamos reconhecer com gratidão que a terra é de Deus, que doa a providência do alimento para todo o ser vivente.

Acostumados a uma vida abundante, não podemos esquecer de partilhar nosso alimento com os necessitados que passam fome.

Comer não é apenas uma necessidade biológica, é também uma ação simbólica com grande significado.

Quando estamos reunimos com outras pessoas, é uma oportunidade única de partilhar o alimento e manifestar nosso afeto.

Na mesa se aprende que o que está ali não é só meu, mas também dos outros, portanto “nosso”.

Abandonamos hábitos simples e quase esquecidos na vida familiar: o sentar-se à mesa.

 

A família reunida é uma bênção de Deus.

Na mesa usamos os cinco sentidos (tato, olfato, visão, audição e paladar), por isso estejamos abertos para esse momento tão importante.

O cardápio é um detalhe – o estar junto é que é a prioridade.

A refeição deve proporcionar momentos de confraternização, de comer em paz, o que faz bem para a mente e o corpo. Compartilhar do alimento, com boas conversas, momentos agradáveis e bem-humorados.

Assuntos delicados devem ser evitados durante as refeições.

Evite falar de suas próprias doenças e das de outras pessoas.

Acidentes, fofocas, é deselegante falar mal de terceiros…

Política, futebol e assuntos grosseiros podem gerar polêmicas e brigas.

Esses assuntos trazem ansiedade, alteram o ritmo da respiração, dificultam a digestão, tornando quase em vão ter se alimentado.

 

Preparo da mesa

Ponha na mesa uma toalha limpa e arrumada com capricho.

Não se deixa de atender ao primeiro chamado de que a comida está servida. Para que o tom de súplica não ecoe no ar!

Oramos pelo alimento que comemos e pela água que bebemos.

Rezar antes de comer é sinal de gratidão: abençoamos o alimento de que precisamos para sobreviver.

“Deus, nosso Pai, abençoe o precioso alimento que coloca em nossa mesa e que vamos comer.

Que nunca nos falte, e dai também para aqueles que morrem de fome e de sede em todo o mundo.”

 

Início da refeição

As mãos devem estar lavadas.

A linguagem corporal é uma forma de comunicação ao sentar-se à mesa.

Estar mal sentado provoca a má respiração, e a comida não fará bem. Evite a má postura, sentando-se com as costas curvadas, inclinando-se para o prato. A forma correta é com as costas retas, apoiando os pulsos sobre a mesa, e não os cotovelos.

Não fique balançando a cadeira, inclinando-se para trás.

Não faça comentários negativos sobre a comida, nem comparações desfavoráveis entre o que é servido.

Não se sirva antes que uma boa parte dos que participam da mesa estejam servidos.

 

Durante a refeição

Mantenha o bom humor, mas não fale alto, nem com um entusiasmo exagerado, ou um otimismo excessivo.

Não brinque com os talheres, nem amasse o miolo de pão.

Não mastigue com a boca aberta.

Não fale com a boca cheia – é melhor usar poucas palavras e frases curtas quando se tem comida na boca.

Não palite os dente à mesa.

Não coloque sobre a mesa celulares, agendas, chaves do carro etc.

Se houver guardanapo de pano, antes de começar a comer coloque-o aberto sobre as pernas.

Não use seus talheres para se servir dos alimentos das travessas.

Sirva-se sem ficar remexendo a comida, ou escolhendo partes que lhe agradam mais.

Se, ao provar um alimento, não gostar, coloque-o em seu prato discretamente, sem fazer nenhum comentário.

Se quiser algo fora do seu alcance, peça-o. Não passe o braço na frente dos outros para pegar alguma coisa.

Se tiver pão acompanhando a refeição, corte os pedaços com a ponta dos dedos, em cima do prato, e leve-o à boca. Não morda o pão inteiro com os dentes, nem corte com a faca.

Não precisa encher muito o seu prato. Se quiser, pode repetir à vontade. Verifique porém, se todos já se serviram.

Não se corta todo o alimento de uma só vez, e nem se mistura toda a comida do prato.

Coma com garfadas pequenas, sem comer rápido demais – a refeição deve ser tranquila, prestando atenção a cada garfada colocada na boca.

Segure os talheres de maneira correta.

Coma apenas com o garfo, deixando a faca à espera sobre o prato. Ela é só pra cortar, nunca para juntar alimento.

Quando for se servir, antes de levar o alimento à boca, coloque-o em seu prato.

Se numa refeição for oferecida uma bebida e você não aceitar, responda apenas: “Não, obrigado”. Ao recusar, não cubra o copo com as mãos.

Não sopre a sopa, nem se incline sobre o prato.

Colocou algo na boca impossível de mastigar? Tire com a ajuda de um garfo e deposite no prato.

Se derramar bebida na mesa, seque com seu guardanapo.

Não brinque com a comida.

Não jogue comida fora; sirva-se da quantidade que for comer.

Peça licença para sair da mesa.

 

Terminada a refeição

Pode-se elogiar a comida discretamente e agradecer.

Os pratos sujos não devem ser empilhados, mas sim levados um em cada mão.

É possível ajudar a levar os pratos ou lavar a louça. Nunca diga: “Olha, se precisar de algo estou aqui”.

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Jane Fiorentino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda