Aprender a respirar

0 Love

Não há vida sem respiração.

A nossa vida começa e termina como uma longa e profunda respiração.

Inspiramos ao nascer e paramos de respirar ao morrer.

Desde o nascimento até a morte desenrola-se uma longa etapa de contínuas respirações, e delas dependem as demais funções do corpo.

Não somente dependemos da respiração para viver, como também os hábitos corretos de respirar é que nos dão vitalidade e imunidade contra enfermidades.

Nossa respiração determina nosso estado mental e corporal.

Para cada padrão de pensamento, existe um diferente ritmo de respirar.

Aprender a respirar corretamente é curar-se, e por incrível que pareça afastar o medo e emoções inferiores!

O aparelho respiratório humano é constituído de forma que é possível respirar tanto pela boca como pelo nariz.

A porcentagem de pessoas que respiram corretamente é muito reduzida.

Observa-se como resultado peitos contraídos, ombros caídos e o grande aumento de moléstias do aparelho respiratório.

 

Como é a minha respiração?

A respiração normalmente é um ato inconsciente.

Permito-me observar o ritmo da minha respiração ao acaso no dia a dia?

Inspirando e levando o ar externo rico em oxigênio até os pulmões, permitindo que eles se expandam profundamente.

Expirando e expulsando o ar rico em gás carbônico, esvaziando os pulmões.

Há uma relação muito clara entre saúde e a profundidade de cada respiração.

A capacidade vital de uma pessoa com saúde é de 400 cm³. A simples respiração profunda permite elevar esse valor para 3.500 cm³, o que assegura uma rica oferta de oxigênio para o cérebro!

 

Sabemos respirar corretamente?

Uma constituição física debilitada, resfriados constantes e inúmeras doenças do aparelho respiratório, muitas dessas enfermidades são causadas pelo hábito de respirar pela boca.

A boca não oferece proteção aos órgãos respiratórios; o ar frio, o pó, as impurezas e os germes penetram sem proteção alguma.

Quando se respira pela boca nada existe no organismo que filtre o ar, detenha o pó ou qualquer outra substância em suspensão.

Essa respiração defeituosa deixa passar o ar frio para os órgãos, ocasionando sua inflamação, atraindo os germes das doenças respiratórias, que penetram sem obstáculo por aquela porta sempre aberta, exposta a enfermidades.

 

Respirar unicamente pelas fossas nasais

Respirar pelo nariz evita estar exposto a doenças causadas pelo acúmulo de mucosidade.

O aparelho protetor ou filtro dos órgãos respiratórios se encontra unicamente nas fossas nasais – dois canais estreitos que contêm numerosos pelos destinados a deter as impurezas do ar, aque são expelidas pela expiração.

Suas membranas são quentes, tendo por objetivo aquecer o ar inalado de modo que não possa prejudicar nem os órgãos delicados da garganta nem os dos pulmões.

É nas fossas nasais que o ar se depura, filtrando e refinando as impurezas, retiradas pelas membranas das mucosas.

No caso em que essas impurezas se tenham acumulado, conseguindo penetrar em regiões que seriam de defesa, os espirros encarregam-se de expelir violentamente os corpos estranhos.

Quando o ar penetra nos pulmões, já se encontra limpo e livre de partículas nocivas.

 

Para a obstrução do nariz

Use soro fisiológico na própria embalagem ou água filtrada.

1- Absorva um pouco de água pelo nariz, fazendo passar pela garganta e expelindo pela boca.

2- Feche uma fossa nasal com o dedo indicador, respirando pela narina que estiver livre. Alterne por várias vezes.

 

Respiração completa

É preciso respirar profundamente e lentamente, concentrando a atenção na entrada e saída do ar dos pulmões.

Com isso há uma diminuição do ritmo dos batimentos cardíacos e no consumo do cortisol no sangue (hormônio encontrado em grandes concentrações quando nos estressamos).

A respiração completa aumenta a vitalidade, tonifica o sistema nervoso, purifica o sangue.

Ao inspirar, conforme você receber o ar em seus pulmões, pense no fluir da vida circulando livremente para o interior do seu corpo. Quando exalar pense em todas as impurezas e tensões saindo para fora.

 

Como praticar

Sente-se com o corpo ereto, respirando pelo nariz.

Inspire primeiro enchendo a parte inferior dos pulmões, expandindo o abdômen.

Agora a região das costelas se afastam e o peito se abre. Assim, a parte média é atingida.

Finalmente, eleve ligeiramente a parte superior do peito, levantando-o para permitir que o ar penetre na parte superior dos pulmões.

Retenha a respiração por alguns segundos.

Para expelir o ar, solte-o lentamente, retraindo um pouco o abdômen.

Mantenha o ritmo constante em várias inspirações e expirações.

Inicie com cinco exercícios diários e vá aumentando gradativamente.

 

Limpeza da cabeça

Sente-se e mantenha os olhos fechados.

Inspire profundamente. Enquanto exalar, com vigor puxe os músculos abdominais para dentro, contraindo o estômago: o resultado é uma exalação muito rápida.

Faça por 10 vezes cada inspiração e expiração.

 

União do intelecto com o coração

Segundo o Gênese comentado por Santo Irineu, o homem é barro cósmico manifestado pelas mãos de Deus e animado por seu sopro. Quando o sopro de vida foi insuflado em suas narinas, o homem se tornou vivo.

Quando utilizando na oração uma respiração lenta, profunda e pacificada, o homem reconhece que seu sopro de vida vem de Deus.

Perguntaram ao abade Macário como orar: ele disse que não há necessidade de se perder em palavras, Deus sabe o que nos convém e terá piedade de nós.

Os monges estabeleceram um método para a interiorização e a meditação com breves invocações repetidas.

Inspire profundamente, e ao expirar diga: “Senhor, como quiseres e como sabes, tem piedade de mim”.

Repita diversas vezes.

 

Obs: Respire profundamente algumas vezes antes de realizar uma tarefa ou em um momento difícil.

Referência: Ciência da Respiração – Yogue Ramacharaca

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Jane Fiorentino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda