Camisa branca

Sabe quando você está com pressa ou sem imaginação para criar um look estiloso? Pois é, isso também acontece comigo, e acho que com a maioria das mulheres. Nessas horas, acho legal optar por usar peças clássicas ou básicas do guarda-roupa, enriquecendo com alguns truques de styling o modo de usá-las.

Mangas arregaçadas dão um ar mais despojado a looks elegantes.

 Foto: arquivo pessoal

SEGUNDA OPÇÃO

Deixando alguns botões abertos, dá pra ampliar o decote e criar uma imagem mais sensual.

Foto: arquivo pessoal

TERCEIRA OPÇÃO

Para dar mais charme à sobreposição com casacos, deixe o colorido da camisa encorpado para cima ou sobreposto à fila do casaco.

Foto: arquivo pessoal

QUARTA OPÇÃO

Com calça de cintura alta, a camisa mais ampla usada de um jeito bluse ganha um ar mais hippie chic.

Foto: arquivo pessoal

ORIGEM DA CAMISA BRANCA

Além de entender sobre estilos e moda, é super bacana poder saber porque uma peça é o que é e como ela surgiu, seus propósitos e utilidades.

A camisa branca surgiu no Egito e tinha corte reto, com abertura somente para a cabeça. Depois de um tempo, seu nome mudou para Túnica Manicata. Seu comprimento ia até os joelhos, com corte para os braços e usada com cintos. Era considerada uma roupa para usar de baixo da roupa em si. Uma espécie de lingerie, que só poderia aparecer sob o decote do vestido.

Por volta de 1880, a camisa branca foi começando a ser usada como peça única por alguns trabalhadores, tanto homens como mulheres. E no século XX, sua história mudou. Era muito usada com saia rodada – mas não como sinônimo de um estilo romântico, e sim por darem as mulheres da época uma cara mais prática e independente. A clássica camisa branca se tornou um ícone da moda graças à estilista Coco Channel, que foi quem revolucionou o estilo feminino, adaptando e usando peças que até então eram consideradas masculinas (imagina o impacto na época!). Chanel, então, fez do uso da camisa branca uma marca registrada de uma nova maneira feminina de se vestir. Mostrando às mulheres da época (e até os dias de hoje) como essa peça clássica poderia ser versátil, estilosa e ao mesmo tempo elegante.

QUINTA OPÇÃO

Ao invés de sobrepor as óbvias camisetas brancas aos vestidinhos de alça, que tal usar uma camisa branca?

Foto: arquivo pessoal

Depois a camisa branca começou a ser adotada por diferentes grupos: marinheiros, tenistas, golfistas, até começar a ser modificada com estampas de listras pretas e azuis.

DEPOIS DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

Com uma grande crise instalada, foi o momento em que as mulheres, até então donas de casa, precisaram literalmente arregaçar as mangas e sair em busca de trabalho. Então fizeram da camisa branca um uso mais constante e comum, devido à sua praticidade e imagem elegante. Nesse momento ela era usada em looks mais “masculinizados”, combinada a calças de alfaiataria e blazers.

Em 1930 ganhou popularidade mundial graças ao uso da camisa pelas estrelas do cinema em Hollywood.

Entre 1940 e 1950, época bastante conhecida por jovens que se rebelaram por suas atitudes e também pelo jeito que se vestiam, a camisa branca (emprestada de seus pais trabalhadores) começou a ser usada com calça jeans. Era o visual preferido dos jovens da época.

Depois da Segunda Guerra Mundial, as mulheres começaram a entrar no mercado de trabalho de uma forma mais maciça, ocupando posições até então consideradas masculinas, como engenharia e medicina. Momento em que os costumes e comportamentos da sociedade mudaram. As mulheres tornaram-se mais independentes, e a camisa branca virou um item essencial do guarda-roupa.

De volta à moda da juventude, em 1960 a camisa branca foi uma referência de estilo nos filmes colegiais. E, com novas propostas de combinações, ela se mostrou mais jovem e causal. Era usada então com coletes, jaquetas de couro, jaquetas estilo bomber, calça jeans, tênis.

PARA O MUNDO DA MODA E DOS ESTILOS

Esse momento foi muito importante, porque marcas e pessoas começaram a perceber como as peças podiam ser facilmente adaptadas a diferentes estilos.

Em 1970, com o auge do estilo hippie, as camisas ficaram com modelagem mais larga, com decotes mais abertos, muito usadas com jeans boca de sino, calças e saias coloridas e muitos colares e outros acessórios.

Foi nos anos 1980 que a camisa ganhou uma ombreira e ficou com um visual mais autoritário, voltando a ser usada de forma marcante no ambiente de trabalho. Ganhou outras modificações, como diferentes texturas, uso de rendas e babados.

Com materiais sofisticados como a seda e transparências, em 1990 as camisas ganharam um ar mais sexy e feminino. Nessa década as grandes marcas começaram a fazer diferentes versões da peça, nos mais diferentes moldes e detalhes. A camisa branca passou a ser essencial para combinar com peças de referência de outras épocas. Funcionava como um atualizador de looks.

Hoje em dia, a camisa branca pode ser usada por todas as pessoas e em todos os diferentes estilos e ocasiões. Sem dúvida é um clássico do guarda-roupa. Vale o investimento! Encontre uma que se adéque a seu estilo de vida.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  1. Beatriz disse:

    Oi Bela, tenho uma saia plissada de veludo azul marinho, eu amo ela. Mas às vezes tenho dúvida do que usar, com que posso combinar? Lembrando que são ocasiões sociais.

  2. Sandra Regina Scavassa disse:

    Amo camisa branca