Alimentação bebês

0 Love

Saiba como incorporar as papinhas, as sopinhas e as frutas ao cardápio do seu bebê e torne a refeição um momento prazeroso! A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomendam que até o sexto mês a criança seja alimentada apenas com o leite materno. Após esse período, podemos introduzir na dieta, aos poucos, sucos de frutas, papas e água potável. Esses alimentos não substituem o leite do peito, que é recomendável dar ao bebê até cerca dos 2 anos de idade.

O cardápio deve ter alimentos variados, coloridos e frescos. A monotonia deve ser evitada, sob pena de o pequeno se tornar seletivo demais. Uma dica valiosa é separar os alimentos para que ele sinta o gosto de cada um. Se possível, prepare refeições que encham os olhos. Bom apetite!

 

1. Os ingredientes devem ser amassados com um garfo e não liquidificados, o que deixa as papas “ralas”, com calorias insuficientes para alimentar a criança. O ideal é que sejam misturas múltiplas, envolvendo quatro grupos de alimentos: cereais ou tubérculos (arroz, milho, batata) + leguminosas (feijão, soja, lentilha) + proteína animal (carne bovina, frango, ovos ou peixe) + hortaliças ou legumes (agrião, almeirão, cenoura, chuchu).

2. A papinha deve ser pastosa, mas não totalmente liquefeita.

3. Não existe restrição em relação às frutas a serem usadas, embora muitos evitem as mais ácidas – prefira a laranja-lima, por exemplo. Seja como for, a principal preocupação é que elas sejam frescas, in natura e, de preferência, da estação.

4. Temperos prontos, condimentos e sal em excesso não devem ser usados.

5. Alimentos enlatados, embutidos, macarrão instantâneo, frituras, refrigerantes e guloseimas não devem ser oferecidos à criança.

6. É imprescindível usar alimentos frescos, além de evitar temperos fortes, como a pimenta.

7. O bebê também pode começar a tomar água e sucos naturais, sem a adição de açúcar. Procure oferecer no copo para não ameaçar a amamentação com a confusão de bicos. Os sucos, principalmente os de frutas cítricas, devem ser oferecidos após as refeições para melhorar a absorção do ferro, presente, por exemplo, na carne vermelha, no feijão e nas folhas verde-escuras.

8. Jamais substitua os alimentos sólidos por bebidas. Para matar a sede, dê a água e não o suco.

9. Fuja dos modelos de recompensa e de ameaça. Quer dizer, nada de festa se raspou o prato ou broncas porque cuspiu a comida. O ambiente deve ser o mais tranquilo e aconchegante possível na hora da refeição. O cansaço, a irritação e o nervosismo dos pais interferem no humor do bebê. Adotar horários fixos também é importante, assim o organismo do pequeno vai se acostumando à rotina.

10. Procure também deixar seu filho apreciar o aroma da comida feita na hora. Tudo isso vai despertar os sentidos dele. A reunião de toda a família à mesa é mais um fator positivo para a alimentação saudável.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esquadrão da moda