Nossos pés

Vamos dar aos nossos pés o reconhecimento que eles merecem!

Façamos uma avaliação de como estão nossos pés.

A pisada errada e a má formação dos pés podem causar dores na coluna, nos joelhos, nas pernas e na região lombar.

É preciso verificar sua temperatura, sua cor, bem como as calosidades, joanetes, pés inchados, rachaduras no calcanhar etc.

 

Pés frios e arroxeados

As extremidades dos pés e das mãos são sensíveis, e a má circulação pode manifestar-se como sensação de frio. Doenças cardíacas também podem levar ao estreitamento das artérias, dificultando a circulação o sangue em todo o corpo.

 

Pés inchados

O motivo pode ser simples, como passar muito tempo em pé, usar sapatos apertados, fazer uma viagem aérea longa. Porém, se o inchaço se prolongar por mais de 2 ou 3 dias, isso pode indicar uma doença renal ou cardíaca.

 

Dedos deformados

Os dedos podem ficar deformados após serem submetidos a pressões crônicas de sapatos apertados, bico fino e saltos exageradamente altos. Nesses casos, os ligamentos e tendões ao redor das articulações são torcidos, desalinhando e inflamando os dedos.

O sapato adequado é aquele que permite movimentar os dedos com os pés calçados.

O dedão é o mais suscetível, podendo sofrer o joanete, que, dependendo da causa, só é possível alinhar com a cirurgia.

 

Rachaduras no calcanhar

Depois de lavar os pés, aplicar o seguinte creme:

– Um tubo de Bepantol

– 10 comprimidos de aspirina amassados

– Meio vidro de vaselina líquida

 

Modo de preparo:

Misture bem o Bepantol com a aspirina; aos poucos vá colocando a vaselina e mexendo.

Coloque em um frasco de creme vazio.

Use sempre que quiser. À noite, coloque meias e durma com o creme nos pés.

 

Corrigindo a pisada

De acordo com o ortopedista Edmundo Vasconcelos, muitas crianças com idade inferior a 2 anos apresentam os pés chatos, sendo que 90% dos casos são corrigidos com o crescimento.

O teste da pisada, exame chamado baropometria, deve ser feito para diagnosticar alterações posturais e endireitar a pisada também nos adultos.

 

Reflexologia

A reflexologia é uma terapia milenar, que estuda a relação de pontos específicos dos pés com os órgãos vitais do corpo. Sua origem provável é cerca de 4 mil anos a. C.

Esse método é muito usado pelos povos orientais devido à sua simplicidade e por ser acessível a todos, porém é pouco conhecido pela civilização ocidental.

A simples apalpação e pressão da planta e do dorso dos pés com as mãos estimula a circulação sanguínea, para que todos os órgãos possam receber os nutrientes presentes no sangue.

Os pés refletem o estado de nossos órgãos; se aprendermos a observar seus detalhes, poderemos prevenir diversas doenças.

 

Objetivo da reflexologia

O objetivo é identificar o mau funcionamento de um órgão antes do aparecimento do seu sintoma, conservando o corpo mais sadio e relaxando o corpo e a mente.

Antes de começar a massagem, é bom fazer um escalda-pés para deixar os pés mais sensíveis ao toque.

 

Escalda-pés

Ashiyu, que se traduz como escalda-pés, são pequenas piscinas com água quente onde as pessoas podem descansar os pés.

É muito comum no Japão, sem muitas regras para o uso. Basta a pessoa colocar os pés para descansar na água quente por uns 10 ou 20 minutos. Esses banhos geralmente são gratuitos e bastante comuns em parques, pontos de aeroporto, estações rodoviárias e ferroviárias.

O escalda-pés é recomendado para que o fluxo sanguíneo alivie pernas inchadas, e ajuda a descarregar as substâncias tóxicas que se acumulam nos músculos, gerando cansaço.

 

Como fazer o escalda-pés:

– Leve uma panela com água ao fogo até que a temperatura fique bem quente, o quanto você aguentar.

– Coloque um punhado de sal e mergulhe os pés em uma bacia com água quente até os tornozelos.

– Deixe-os de molho por mais ou menos 15 minutos enquanto a água permanece quente.

– Depois, enxugue os pés com uma toalha e coloque meias para mantê-los quentinhos.

– Após o escalda-pés, evite a friagem.

 

Como fazer reflexologia nos pés

Seus benefícios são muitos; dores/rigidez muscular, artrite, calosidades, má circulação, paralisia motora, contusões, entorse, convalescência, fadiga, pés frios…

De acordo com as áreas que estiverem sensíveis, descobre-se quais órgãos necessitam de tratamento.

Quando um ponto dói, há algum problema no órgão correspondente: um coágulo sanguíneo aparece ali bloqueando essa comunicação. Quando o apertamos com o dedo, esse coágulo se dissolve e o ponto é desbloqueado, harmonizando o fluxo energético do órgão correspondente.

 

Todos os pontos estão ligados aos órgãos pelo sistema nervoso.

Por meio de estímulo, é possível ajudar o próprio corpo a se regenerar de males físicos e emocionais.

– A pressão feita com o polegar das mãos deve ser firme, nem muito forte nem muito suave, e a dor deve ser suportável.

– O estímulo do local deve durar entre 30 segundos e 2 minutos.

– Tal processo dever ser feito por vários dias seguidos.

A diminuição da sensibilidade e dor local é um sinal de recuperação, aliviando dores, insônia e cansaço.

  

Quando estiver vendo TV ou em outro momento livre, aproveite para tocar os pés com simples massagens confortantes ou usando os pontos da reflexologia.

– Para estresse e cansaço, massageie a região da coluna e a parte central do pé, relacionada ao estômago, rins e intestino.

– Para insônia, a região lateral externa dos pés.

– Para depressão e ansiedade, a região do plexo solar, pulmões e intestino.

– TPM, região dos rins, baço e pâncreas.

 

Contraindicações

Pessoas com diabetes que apresentam machucados nos pés, pessoas com alergias ou dermatites, trombose, fraturas expostas e varizes assaltadas devem consultar o médico.

 

 

Os pés, como um mapa em miniatura, mostram o nosso organismo interno

O pé esquerdo corresponde ao lado esquerdo do corpo, e o pé direito ao lado direito.

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor – escrito por Jane Fiorentino.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *