Argila

A superfície da Terra é toda formada de argila, húmus e areia.

A argila é de origem mineral, retirada do solo das florestas, das margens dos rios e lagos, do fundo do mar.

O seu poder de cura vem dos raios solares que impregnam a sua superfície.

A cerca de 3 mil anos, os egípcios usavam a argila como medicamento e para a mumificação de seus mortos.

Ela pode ser usada tanto interna como externamente, em banhos, cataplasmas e máscaras para o rosto.

O importante é que a argila não deve ter contato com objetos metálicos; deve ser guardada em potes de vidro e em lugar claro.

 

O uso interno da argila

Em certas regiões do planeta, em locais onde impera a desnutrição, inclusive em algumas áreas do Nordeste brasileiro, existe o costume de fornecer às crianças um tipo de água de argila para beber, como fonte de cálcio, magnésio e outros elementos, a fim de combater as cáries dentárias, a desnutrição, o raquitismo e os distúrbios de crescimento.

 

As pílulas de argila

Sobretudo na Europa, as pílulas de argila são usadas pelo seu efeito purificador do sistema digestivo, como anti-inflamatório, vermífugo, antidiarreico, trazendo benefícios a todo o organismo.

 

A água de argila

Para prepará-la, coloque uma colher de café cheia de argila fina para um copo de água filtrada.

Coloque o pó sobre a água e misture bem com uma colher que não seja de metal.

Deixe a mistura em repouso por algumas horas, até que o pó assente no fundo do copo.

Beba a água lentamente, evitando que o pó volte a se misturar com a água.

Tome em jejum ou 1 hora antes das refeições.

 

Composição química da argila

Minerais: manganês, magnésio, titânio, silício, cobre, zinco, fósforo, potássio, boro, ferro, feldspato, cálcio, sódio, selênio e outros.

Os minerais definem a sua cor: cinza, esverdeado, branco amarelado e vermelho alaranjado.

 

O uso externo da argila

Tratamento de argila aplicada em compressas frias ou quentes:

Quando a compressa é aplicada, a argila é capaz de absorver a energia perniciosa acumulada no local doente e transmitir sua energia de elevada qualidade vital.

Assim, uma compressa fria de argila, alivia a região em que foi aplicada e se torna quente, pois absorve o calor da região afetada.

Nos casos de tumores, o aquecimento da compressa é intenso, pela absorção das energias da doença (se houver maior interesse, informe-se melhor).

 

Ações da máscara de argila sobre a pele

O silício dá elasticidade à pele

O alumínio, tonicidade, com ação cicatrizante e bactericida.

O cobre, fixação do oxigênio.

O enxofre compõe os aminoácidos da proteína da pele.

O ferro auxilia na respiração das células, quando a pele está seca e sem elasticidade.

O manganês age no colágeno.

O magnésio hidrata a pele.

A máscara de argila absorve sujeiras e toxinas da pele. Seu efeito é esfoliante, bactericida e clareador de manchas, excelente para cravos e espinhas, acúmulo de gordura, rugas e sinusite.

A pele coberta por ela se aquece, o que permite a penetração dos seus minerais.

Seu elevado conteúdo mineral, rejuvenesce e estimula a circulação sanguínea, descongestionando a pele irritada e inchada.

A máscara deve ser feita no momento de uso;  não reutilize o que sobrou. O limite de sua ação é de duas horas.

 

Modo de preparo:

Coloque em um pequeno recipiente de vidro uma colher de sopa de argila verde.

Adicione um pouco de água ou chá de camomila, e misture com uma colherzinha de plástico ou madeira até obter a consistência de uma pasta cremosa.

 

Como usar:

Lave o rosto com água e sabonete, seque a pele e aplique a máscara, menos na área dos olhos.

Deixe secar no mínimo por 15 minutos – nesse tempo vai sentir a pele repuxar e a máscara secar.

Depois, lave o rosto com água fria utilizando uma esponja.

Você vai notar a pele avermelhada, mas é só por algum tempo: o resultado vem depois da sua retirada e é fantástico!

Aplique a máscara com a própria colherzinha com que fez a mistura ou com os dedos.

Pode ser usada duas ou três vezes por semana.

Para a pele com acne, a máscara age como antibactericida, ajudando a controlar a oleosidade excessiva. A melhora é gradativa, pela continuidade da sua aplicação.

 

Banho de imersão

1 colher de sopa de argila na água da banheira.

 

Altamente relaxante, os banhos de banheira tem um efeito que geralmente é desconhecido.

Quando o corpo é mergulhado na água, os órgãos internos – estômago, fígado, pulmões, baço, intestinos – ficam numa posição diferente de quando nos encontramos em pé ou sentados.

A pressão natural da água faz o corpo flutuar, e permite que esses órgãos descansem comodamente em seus lugares.

O tempo de permanência é de mais ou menos 20 minutos.

A temperatura da água pode estar pouco acima do calor do corpo.

 

Experimente!

 

Abraços,

Jane Fiorentino

 

Referência: livro Medicina natural, Dr. Márcio Bontempo.

 

O conteúdo deste post é de inteira responsabilidade do autor. – escrito por Jane Fiorentino.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentário

  1. Elizabete aparecida Perpetuo disse:

    Amando as dicas me reencontrando .resgate do feminino